PUBLICIDADE

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

REDEFINIR O IMPOSSÍVEL; A PAIXÃO TRANSPÕE MONTANHAS

Porque  Viver o Desporto nos permite alcançar o impossível, mover montanhas, trago-vos a história do Nuno Ribeiro, um exemplo de força, de coragem, que deve ser transmitida a todos. O Nuno nasceu com Paralisia Cerebral e, junto com a sua família, provou que com força e determinação conseguimos alcançar muitos dos nossos sonhos.
Nascer com uma deficiência, ou passar a tê-la em qualquer fase da nossa vida, é um facto que devemos ter sempre presente. Se for esse o nosso destino, ou de um nosso familiar ou amigo, vamos à luta, não nos resignemos!
Felizmente o Nuno Ribeiro quis, mas também teve a possibilidade de lutar. Muitos querem, mas não conseguem, pois são pouco apoiados e os tratamentos são dispendiosos. Temos de deixar de ser apáticos e pressionar quem nos governa. As intervençoes precoces são fundamentais e, na maioria das vezes, acabam por não acontecer... 

Deixo-vos com a história do Nuno.
Obrigado pelo teu testemunho…

O meu nome é Nuno Ribeiro, tenho 27 anos e sou do Barreiro
Nasci a 28 de Agosto de 1990 se calhar, quem sabe, com o objetivo de mudar mentalidades e de demonstrar que a palavra impossível não deveria existir no dicionário do ser humano!
Nasci com Paralisia Cerebral, deficiência relacionada com o Sistema Nervoso Central.
Quando me perguntam o que é, não sei a melhor forma de explicar, de forma a que as pessoas entendam, por isso digo que o cérebro não envia os comandos corretos para o corpo, daí eu ter problemas de equilíbrio e deslocar-me com “este andar desengonçado”.
Desde que nasci, todos os médicos disseram aos meus pais que eu nunca iria andar!
Foi então que conhecemos a Associação NÓS - Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente, que tem como objetivo promover a inclusão social de pessoas com deficiência ou em situação de risco e/ou desvantagem social.

Nesta associação foi dito aos meus pais que havia uma fisioterapeuta, a quem eles poderiam pedir mais uma opinião!
Depois de já terem ouvido tanto, não perdiam nada por saber mais uma opinião.
Após uma avaliação a fisioterapeuta disse aos meus pais que eu tinha tudo para andar e que iria andar!
Comecei a andar apenas com cerca de 7 anos de idade, depois de fazer a minha primeira cirurgia, para alongamento de tendões, até então só me equilibrava agarrado a alguém ou a alguma coisa.
Era uma cirurgia inovadora em Portugal, ainda tinham sido realizadas poucas cirurgias com esta técnica por isso os médicos não sabiam qual seria o resultado final em mim!
A cirurgia foi um sucesso, mas os médicos disseram aos meus pais que podia ser necessário repeti-la mais tarde, na adolescência devido ao crescimento!
Após um longo processo de recuperação comecei a caminhar sozinho sem ser necessário apoio de ninguém!
Avancemos até aos meus 16/17 anos, fase da adolescência, em que damos um pulo grande em termos de crescimento!
Foi necessária nova cirurgia, uma vez que os tendões, não acompanharam o crescimento e foi necessário novo alongamento dos mesmos.
Esta cirurgia foi dividida em 3 fases! E acabou em mais um sucesso!
Depois de finalizado novo processo de recuperação, e já cansado de tantos anos de fisioterapia, resolvi entrar para um ginásio.
Por ser um ambiente novo para mim foi necessário optar por ter Personal Trainer, seria a melhor forma de me ambientar e evoluir ainda mais!
Se a minha vida tinha mudado até aqui, iria mudar mais ainda...
Num dos treinos, perguntei-lhe se ele dava Aulas de Grupo e se sim quais eram!
Ele disse que dava Cycling! Perguntei lhe o que era, e ele explicou-me!
Nesse momento, após a explicação, essa modalidade despertou-me interesse, ainda sem ter experimentado.
Quando lhe pergunto se teria condições para a praticar ele disse-me que se calhar seria difícil...
Mas eu gosto de ir a favor do que dizem ser difícil ou impossível por isso fui experimentar!
Desde essa primeira aula que a paixão nunca mais desapareceu!
Passaram 4 anos e ser só aluno para mim não chegava, queria mais, queria ser instrutor!
Foi então, que me foi apresentado, o Master Instrutor de Spinning® Pedro Maia, que já tinha dado formação a outras pessoas também com algum tipo de limitação.
Após uma “avaliação” para ver a viabilidade de eu tirar ou não a Formação para leccionar classes de Spinning®, propôs-me que eu fizesse a Formação e nessa altura reavaliar a possibilidade de uma carreira como instrutor.
Inscrevi-me na formação e felizmente conclui-a com sucesso!
Ter recebido o certificado de instrutor, foi ainda mais uma lufada de dar ar fresco na minha motivação, pois consegui-me superar, em algo que nunca pensei ser possivel!
Concluo, deixando a mensagem, que quando quiserem dizer que é impossível, substituam o impossível por possível!


Nuno Ribeiro

Sem comentários:

Publicar um comentário