PUBLICIDADE

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O riscos da utilização excessiva de anti-inflamatórios no desporto


O uso de anti-inflamatórios no desporto é cada vez mais usual, mesmo no desportista amador, para o qual este blog é dirigido.
Os anti-inflamatórios não esteróides, os conhecidos NAIDS, são uma classe de medicamentos na qual estão incluídos os que com mais frequência são utilizados para o suporte e tratamento das lesões do desporto. No entanto, estes medicamentos provocam efeitos secundários bastante graves, se tomados com muita frequência.
Eu, os meus amigos, e com certeza a maioria daqueles que está a ler este artigo, já tomou o seu “Voltaren” umas horinhas antes, ou após, a sua corrida, o seu jogo, para puder treinar ou recuperar sem desconforto. “ É uma dor chata que não me larga, mas que no fim de quente está bom”, é o que se diz.
Não é difícil adquirir um anti-inflamatório, mesmo sem receita médica, apesar desses medicamentos não serem de receita livre. Mas, também é prática comum os próprios clínicos os prescreverem para atenuar a dor pós exercício, assim como os “treinadores”, mesmo em escalões de formação, na ânsia de ter o seu jovem atleta preparado para a competição seguinte. O que a maioria não sabe é que a resposta inflamatória é uma maneira fisiológica do corpo se livrar das células afetadas e iniciar a regeneração do tecido. Com a inibição desta função, o tecido demora mais para regenerar-se. Para além disso, o anti-inflamatório  inibe a dor e, dessa forma, vamos continuar a danificar o tecido muscular , provocando ainda mais estragos.

Não estou a dizer que a utilização do anti-inflamatório deve ser inibida, pois por vezes é mesmo necessário, e deve ser tomada em situações específicas, pois alguns tipos de lesão desportivas a isso o obriga. Importa é referir que não devemos subestimar os seus efeitos negativos e que devemos tomar consciência dos graves efeitos secundários que podem surgir:


  •  Tomado antes da atividade física mascara as lesões desportivas;
  •  Aumenta o risco de problemas cardíacos, nomeadamente enfarte do miocárdio;
  •  A longo prazo poderá também danificar a atividade das células protetoras do intestino delgado.
  • Azia, diarreia, náuseas, vómitos, gastrite, sangramentos e até perfurações do aparelho digestivo, induzidas principalmente pela inibição da enzima COX-1, responsável pela diminuição da acidez e proteção da cobertura do trato gastrointestinal.
  • Problemas renais,  sendo no limite  insuficiência renal aguda.

Dessa forma,  não é demais dizer os anti inflamatórios são medicamentos que devem ser utilizados com critérios rigorosos, respeitando sempre a prescrição médica, e indicados em situações particulares e por um tempo curto e pré-determinado de tratamento.

O tema do uso dos anti-inflamatórios é muito específico, entrando numa área (a da saúde), onde não possuo conhecimentos necessários para aprofundar mais o assunto. Este post é mais no sentido de relembrar que não vale a pena andar sempre a camuflar lesões, na ânsia de fazer mais um treino, e não nos lembrarmos das consequências nefastas que daí podem advir…

Sem comentários:

Publicar um comentário