PUBLICIDADE

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

A RELAÇÃO ENTRE AS PATOLOGIAS NOS JOELHOS E O CICLISMO

 

Deixo este interessante artigo do dr. Benjamim Carvalho, médico, especialista em ciclismo, sobre as patologias nos joelhos e a prática do ciclismo.

Quem conhece o dr. Benjamim Carvalho, e o acompanha, sabe que a sua liguagem é frontal e pouco floreada...

NO CICLISMO SÃO FREQUENTES OS PROBLEMAS NOS JOELHOS ( como gerir o problema?...)
São estranhos e por vezes assustadores os termos associados à patologia dos joelhos no ciclismo: condromalacia, síndrome da pelicula sinovial, tendinite patelar, síndrome da banda iliotibial, pata de ganso….
Será o ciclismo mau para o joelho?
NÃO!
Pelo contrário, o ciclismo é aconselhado para recuperação dessas patologias.
Os joelhos doentes necessitam de movimento.
Quando não podemos correr, andar… podemos certamente pedalar.
Não quer dizer que não haja patologia do joelho associada ao ciclismo.
A uma cadencia de 90 rpm, um ciclista faz 5400 revoluções por hora e e 1 500 000 se fizer 7000 km ano.
Isto seguramente leva a algum desgaste das cartilagens, tendões e ligamentos.
O mal não está na pedalada mas no modo como ela é executada.
O joelho ao funcionar como um piston que sob e desce em movimento linear. Ao mesmo tempo rola, deslisa e roda em vários planos durante cada pedalada.
A perna está fixa em baixo pelo pé ,ligado ao pedal, de maneira mais ou menos rígida. Superiormente está ligada por osso e ligamentos fortes ao osso da bacia. O joelho move-se entre estes dois pontos e se não é acomodado em posição correta irá seguramente entrar em sofrimento.
Curiosamente os ciclistas de estrada sofrem mais ,do joelho, que os ciclistas de BTT apesar de estes utilizarem cadencias mais baixas e momentos de explosão mais frequentes. A explicação é que estes estão constantemente a mudar de posição contrariamente ao ciclista de estrada.
Verifica-se , também, que certas patologias nomeadamente a bursite iliotibial, surgiram após o surgimento do pedal de encache mais ou menos fixo. Daí a utilidade em utilizar cleats com mobilidade adequada.
Poderia enunciar uma série de princípios gerais e formulas para melhor prevenção conforme o estilo, o tamanho do pé, etc…mas para isso e para quem faz ciclismo com frequência o melhor é procurar alguém entendido em "dynamic bike fit"…
Contudo há princípios que nunca fizeram mal a ninguém:
Proteger os joelhos em tempo frio, bom aquecimento, aumentar a quilometragem gradualmente, não utilizar roda fixa, não moer demasiado a subir levantando várias vezes se necessário quando a cadencia baixa, se usar elementos de ortótica usar os mais adequados, não usar sistemas pedal/cleats fixos.
Fora da bicicleta ter cuidado na execução de squats, corrida a descer e ter cuidado com os ângulos de execução das cargas em ginásio dado o stress rotuliano.
Se a dor persistir consultar um médico experiente em lesões desportivas. As patologias necessitam de observação presencial. Os conselhos por telefone ou outos não passam de palpites.
João Carlos Bernardino, Fernando Teixeira e 258 outras pessoas
20 comentários
37 partilhas
Gosto
Comentar
Partilhar


Sem comentários:

Publicar um comentário