PUBLICIDADE

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Maratona vs Ultra Maratona - Qual a mais difícil?

O Trail Running, enquanto modalidade desportiva está a superar todas as expectativas, quer no que respeita ao número de praticantes, quer na envolvência competitiva.
Os exageros começam a fazer parte das corridas e, infelizmente, até os casos de toma de substâncias proibidas já fazem parte de um desporto que deveria ser de desfrutar da montanha e dos seus trilhos. São já uma minoria aqueles que vão para desfrutar das paisagens…
Os ultra-trails são já quase obrigatórios nos eventos organizados, e já temos muitas provas Portugal  em que as distâncias são superiores a 100kms. O mesmo se passa no resto do mundo.

Fazer um Ultra Trail de 3 dígitos é uma superação e marca a vida de quem o faz. Não tenho a menor dúvida que é assim, vê-se a alegria de quem é finisher nessas provas. Mas, até aqui há os exageros… Ser ultra de 3 dígitos, com 5.000 de desnível é uma grande façanha, mas não é ser REI do atletismo e das provas de dificuldade, sejam físicas ou mentais… nem vou comparar com provas de Trail Running por etapas, por provas de Ciclismo por etapas em alta montanha ou com um Iron Man. Vou só comparar com a MARATONA.


100Kms em montanha  vs Maratona – Qual a mais difícil?
Antes de tirarem conclusões precipitadas, deixo só aqui algumas observações:
- Isto é comparar o incomparável, mas já presenciei em várias provas esta conversa (daí este artigo);
-  quando refiro concluir uma maratona é fazê-lo a correr a um ritmo considerável ( já falarei disso).
- Maratonista e Ultra Maratonista são atletas muito distintos em todos os níveis.

Vamos então às comparações…
Se para um atleta de montanha fazer os 3 dígitos é a superação, para um maratonista, considero como superação fazer abaixo de 2:45h. Tempos entre as 2:45h e 3h são bons e implicam já um bom treino. Tempos superiores a 3 horas são possíveis para a maioria… basta ter um treino regular de 3 vezes por semana.
Atenção que um atleta que faça 2:45h perde mais de 1 minuto ao Km em relação ao record do mundo….
A pergunta que vos faço é a seguinte?
Se hoje decidissem superar-se e, programar para  2018 fazer os MIUT, com os seus 115kms e os seus 7200D+, ou uma maratona abaixo de 2h45m, qual consideram o objetivo mais fácil de atingir?
Na minha opinião, é mais fácil ser finisher no MIUT: quer na dificuldade da prova em si (devido às 30 horas para o fazer), quer na preparação para a mesma… Volume de treino, fortalecimento muscular, boa alimentação… mas é perfeitamente possível, muitas vezes apenas com disciplina, realizado por atletas que começaram a correr depois dos 30 anos!
 Já realizar uma maratona abaixo de 2:45h implica muito volume de treino, muita intensidade de treino, também muita disciplina e grande capacidade de adaptação de sofrimento do corpo durante quase 3 horas com frequências cardíacas altas (muitas vezes perto dos 90%).

Para concluir, deixo a comparação dos resultados de 2017 entre duas das maiores provas Mundias: MIUT e Maratona de Paris

MIUT 115:
Participantes: 780
Finishers:590
Maratona de Paris:
Participantes: 42.000
Finishers: 41.600
Abaixo de 2:45h – 218 atletas!!!!

Nunca fiz nem o MIUT, nem nenhuma Maratona, pois já não tenho joelhos para grandes distâncias, nem paciência e vontade para esses treinos… Comecei o atletismo aos 11 anos e fiz até aos 22 ou 23, sem grandes treinadores, sem grande disciplina…  Quando terminei, fazia meias maratonas na casa da 1:21h (penso ser o meu melhor registo). Agora que regressei, mais pesado, já veterano, faço três treinos semanais e  no ano passado diz duas meias maratonas, com os tempos 1:24h e 1:26h. Objetivo pouco difícil de alacançar.  O problema é tirar 4 minutos a uma meia maratona e depois duplicar a distância… muito trabalho, muito sofrimento, muito risco de lesões… como se pode ver no resultado de Paris, para poucos…

Carlos Oliveira



7 comentários:

  1. Boa tarde, por um lado acho o artigo interessante, no entanto considerar que apenas um tempo abaixo das 3h sejam uma superação é que não me parece que faça sentido. Mas acho que é importante dar-lhe um desconto ... ao fim ao cabo, como indica, nunca fez nem o MIUT nem uma maratona hehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é verdade, nunca fiz o MIUT, nem nenhuma maratona daí não ter qualquer credibilidade este artigo. Olhe que o conhecimento não se adquire só pela experiência... aliás nem tenho qualquer experiência desportiva, quer como praticante, quer na minha formação profissional... falando do mais importante: ser finisher numa prova como o MIUT, dada a sua dificuldade, só pode ser comparado com fazer uma maratona bem abaixo das 3horas... senão seria menosprezar os finishers do MIUT. Quantas pessoas conhece que fazem uma maratona abaixo das 2.50h. E quantos finishers em provas como o MIUT?

      Eliminar
  2. Na sua opinião, qual a modalidade menos agressiva para os joelhos? O trail (que apesar de ter terra tem também piso irregular) ou estrada (que tem piso liso mas de dureza superficial superior)?

    ResponderEliminar
  3. O alcatrão tb não faz bem nenhum, daí ter abdicado de provas longas, que implicam muito treino... O Trail, sem grandes desníveis, é mais suave, mesmo com o risco de algumas rotações. O problema dos trails são as longas descidas. Muita carga na zona anterior dos Membros Inferiores. Tem de se fazer um grande trabalho de reforço muscular para minimizar... se tem probelmas como eu, e mantém o vício: 3 ou 4 trails por ano, nunca superiores a 25kms e na estrada, esquecer provas acima dos 10.000 metros. E claro, a intensidade. Se faço 10.000m em 37 min é diferente de quando vou só para desfrutar e faço em 40 min. Espero ter sido útil.

    ResponderEliminar
  4. Boa noite. Artigo muito interessante.
    Comecei a correr aos 39 anos/ 2011 em Trilhos.
    Fui fazendo ocasionalmente algumas provas de 10km em estrada.
    Terminei o MIUT 115km em 2014 com 23h32'
    Fiz a estreia na Maratona de Paris em 2017 45 anos com 2h54'32". Não foram as 2h45' mas custou-me muito menos, nao me custou nem 1/3 daquilo que custou/sofri no MIUT
    Cumprimentos, Didier Valente

    ResponderEliminar
  5. Boa noite Didier Valente
    O Didier é um grande atleta (vou acompanhando porque somos amigos no facebook). Penso que sente que é uma exceção a sua performance na relação de performance Ultra Trail/ Maratona. De certeza que tem muitos amigos que fazem ambas as provas e devem ser mais mais a terminar Ultras acima dos 100 Kms que aqueles que conseguem baixar até das 2h50m na maratona. Não esqueça que entre o MIUT e Paris passaram 3 anos... e quando fez o MIUT ainda só tinha 3 anos de corrida. Até nisso se nota a sua qualidade. Volto a reforçar que para mim, pela minha experiência desportiva e profissional ( o treino é uma das minhas áreas de trabalho) é mais fácil o objetivo de uma prova como o MIUT ( terminar), que é o principal objetivo da maioria dos ultras. O artigo está a levantar polémica. Desde que devidamente fundamentado, é interessante debatermos estes assuntos
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  6. Gosto da comparação. Essencialmente para mostrar que os grandes objetivos em distâncias de fundo devem fazer a relação entre distância e tempo. Não é só os kms que contam...

    ResponderEliminar