PUBLICIDADE

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Há quanto tempo não faz um exame médico no âmbito da sua atividade física?

Uma grande percentagem dos atletas amadores que, de uma forma regular, fazem as suas corridas, muitas vezes inseridas em momentos competitivos, como as corridas de rua, o trail running ou as provas de BTT, negligenciam por completo a realização de exames médicos que comprovem a sua aptidão para a prática desportiva.
A maioria dos leitores deste artigo já estará a pensar: “pois, já nem me lembro da última vez que fiz um eletrocardiograma, um raio-X ao tórax, umas análises” e, em última instância, “uma prova de esforço”.

Se, no desporto de alto rendimento, os atletas são encaminhados para os centros de medicina desportiva existentes no país, onde realizam os exames protocolados com a modalidade desportiva praticada. No desporto amador, mesmo federado, não há praticamente nenhum controlo de exames médicos por parte de clubes e atletas!
No entanto, o nível competitivo no desporto amador é de tal forma elevado que há imensos atletas amadores com planos de treino, uso diário de suplementos alimentares desportivos, treinos em volume e intensidade elevados… aliás, há amadores que treinam como profissionais de alto rendimento! Desses, quantos já fizeram, por exemplo uma prova de esforço, ou RX ao tórax, um ECG?
Apesar de a prova de esforço não estar protocolada como um exame complementar de diagnóstico na prática desportiva para atletas amadores, a verdade é que é efetivamente o momento em que o médico consegue ver a evolução do nosso sistema cardiovascular numa situação de esforço semelhante à praticada nas provas. Ninguém poderá dizer que não é útil… Não será protocolada devido aos valores monetários que implica, assim como os recursos humanos e materiais que poderão não ser suficientes…

A morte súbita no desporto acontece, infelizmente. E têm acontecido bastantes casos nos últimos tempos, especialmente em modalidades de longa duração e intensidade. Basta fazer uma pequena pesquisa na internet… quase todos, em atletas amadores!
A maioria de nós tem ânsia de se superar e, nas provas, leva o corpo ao limite, ou perto dele. A título pessoal, sou dos que o faço… Nas provas levo quase sempre o medidor de FC, não olho para ele, mas em casa tenho curiosidade de ver como decorreu a prova. Muitas vezes não gosto do que vejo, é a verdade…
Preocupo-me em fazer exames médicos de uma forma regular. Ainda há alguns meses voltei a fazer uma prova de esforço. É agradável ouvir o médico dizer que está tudo bem, que se vê um coração habituado ao esforço, a estabilizar em determinados patamares, e que tudo está dentro da normalidade. Claro que gasto algum dinheiro, provavelmente já não compro aqueles calções XPTO naquele ano, mas são opções.
O alerta que deixo é: façam alguns dos exames que referi anteriormente com regularidade. Preferencialmente, procurem médicos associados à medicina desportiva. Estejam atentos aos sinais do vosso corpo: palpitações, desmaios, fraqueza, dores no peito…


Carlos Oliveira

Sem comentários:

Publicar um comentário